terça-feira, 25 de agosto de 2015

MOMENTOS DE AMOR

DESCOBRIR E CUIDAR DO VÍNCULO COM SEU BEBÊ TODOS OS DIAS
Dias emocionantes... são todos os dias de uma gestão. Muita expectativa, muito amor, carinho, muita fofura... também dias pesados, enjoados e enfadonhos... são assim os dias de uma gestante!!! Mas ser mãe é sonho!!! Descobrir que está gerando um bebê é ver este sonho sendo construído dia a dia durante nove meses. A chegada tão esperada do bebê é simplesmente o seu GRANDE SONHO SE TORNANDO REALIDADE... Eu amo ser mãe, não tem nada tão valioso que se possa comparar, é emocionante!!!
Quero compartilha algumas dicas sobre este assunto espero que sejam uteis para você que está passando por esta fase tão maravilhosa ou está se preparando para entrar nela!!!

Um momento só seu
O momento de automassagem traz bem-estar e relaxamento, que aumentam sua auto-estima e fazem com que você se sinta mais feminina. Segundo uma pesquisa com 80 gestantes que realizamos em parceria com uma equipe de profissionais especializados, ficou comprovado que incluir a automassagem três vezes por semana na sua rotina diária traz os seguintes benefícios:
Relaxamento • Bem-estar • Satisfação com a vida • Aumento da autoestima e da conexão com a feminilidade • Aumento da percepção do vínculo mamãe-bebê • Sono de melhor qualidade
Fazendo a massagem com o Óleo Vegetal para Gestante, você se desliga, durante oito minutos, de todas as tensões do dia-a-dia e tem um momento só seu, que vai proporcionar a sensação de bem-estar e relaxamento fundamental para você conhecer melhor aquela que será a mãe do seu filho: você.

Por dentro da barriga
Como é realizado o ultrassom, a quantia mínima de exames que é preciso fazer na gestação
O ultrassom é, de longe, o exame preferido das grávidas. Por meio dele, dá para saber como vai o crescimento do bebê, entre outras coisas importantes, e até ver um esboço da carinha dele. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda pelo menos quatro ultrassonografias na gestação. Mas, se você quiser fazer todo mês, não há perigo algum. Convém levar um acompanhante na hora do exame, para dividir as alegrias, mas também ampará-la em caso de notícias ruins. E não se esqueça de verificar no laboratório onde você vai fazer os exames a possibilidade de gravá-los: todo mundo vai amar aquelas imagens cinzas e pouco nítidas!!!
1º - realizado assim que você descobrir que está grávida (o que acontece entre a 5ª e a 8ª semana de gestação), o médico vai verificar se o embrião está posicionado no local certo.  A partir da 6ª semana, dá para ouvir ainda o coração do bebê. Inesquecível!

2º -  11ª e a 14ª semana da gravidez - ultrassom morfológico. Este exame avalia a anatomia do bebê, que já está praticamente formado, a medição da prega nucal, região do pescoço do bebê, cujo objetivo é verificar o risco de alterações genéticas, como a síndrome de Down. Prepare-se: chegou a hora de saber, com 95% de certeza, o sexo do seu filho! 

3º - 20ª e a 24ª semana, mais um ultrassom morfológico vai repetir a análise dos órgãos do bebê em busca de malformações e doenças genéticas, este exame pode ser mais demorado, por volta de 45 minutos. O médico vai checar também, com a ajuda de um aparelho chamado doppler, o fluxo sanguíneo entre o feto e a placenta. Isso é importante para prever o risco de pré-eclâmpsia. A cada ultrassom, o especialista observa também o volume de líquido amniótico.

Além desses exames mais completos, o seu obstetra pode pedir um ultrassom obstétrico no final da gestação, apenas para ver se o bebê e a placenta continuam evoluindo dentro do esperado. Mas esse exame costuma ser repetido diversas vezes ao longo da gravidez.

Gripe na gestação - Como prevenir e tratar a doença na gestação
Dores no corpo, febre, coriza. Os sintomas da gripe derrubam qualquer um, imagine na gravidez. Para piorar, nem todos os medicamentos que atenuam os sintomas da doença, que é causada pelo vírus influenza, são permitidos durante os nove meses. O que fazer, então?
Em primeiro lugar, assim que aparecerem os primeiros sinais do desconforto, procure o seu obstetra. Como a imunidade na gestação é naturalmente mais frágil, o risco são outras infecções oportunistas que podem aparecer também, como pneumonia e sinusite. E todo cuidado é pouco. “A taxa de mortalidade de gripe em grávidas é superior a de pessoas ‘normais’.
Tratamento
Fique longe dos antigripais de costume. Isso porque eles contêm substâncias vasoconstritoras que causam taquicardia e hipertensão. O mesmo vale para os descongestionantes nasais, que podem ser substituídos por soro fisiológico. Além disso, os anti-inflamatórios também são contraindicados, pois o uso no final da gestação está associado a hemorragias. “O tratamento é basicamente sintomático e pode incluir analgésicos, como o paracetamol, antivirais e até mesmo antibióticos, se for o caso”, diz Lobão Neto. Mas, sempre com prescrição médica. Por último, a grávida tem de repousar, alimentar-se bem e tomar bastante líquido para ajudar a eliminar a secreção das vias aéreas. Se quiser lançar mão de produtos naturais para aliviar os sintomas, como mel e própolis, é preciso conversar com o médico antes.
Prevenção
A transmissão acontece via gotículas de saliva ou coriza pelo ar, ou seja, basta alguém tossir ou espirrar ao lado. O contato com objetos contaminados também é arriscado. Por isso, agora mais do que nunca, lave as mãos com frequência (tenha sempre álcool gel na bolsa!) e evite ambientes fechados.

Até a próxima, abraços,

Conteúdo desenvolvido pela área de Projetos Especiais, da Editora Globo, sob encomenda para a Natura Mamãe e Bebê. 19/11/2013: http://www.natura.com.br/